Início do Site      Contactos      Mapa do Site
Águas Públicas do Alentejo, S.A.

Apresentação

Versão para impressão PDF

A Empresa

A empresa Águas Públicas do Alentejo, S.A., foi constituída em 25 de setembro de 2009, tendo por acionistas a AdP - Águas de Portugal, SGPS, S.A. e a AMGAP - Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública do Alentejo.

Esta empresa surge na sequência do Contrato de Parceria Pública, para a gestão de forma integrada, dos serviços de abastecimento de água para consumo público e de saneamento de águas residuais celebrado a 13 de agosto de 2009 entre o Estado Português e os municípios de Alcácer do Sal, Aljustrel, Almodôvar, Alvito, Arraiolos, Barrancos, Beja, Castro Verde, Cuba, Ferreira do Alentejo, Grândola, Mértola, Montemor-o-Novo, Moura, Odemira, Ourique, Santiago do Cacém, Serpa, Vendas Novas, Viana do Alentejo e Vidigueira.

Modelo de Gestão Adotado

Modelo de Gestão - AgdA

O Contrato de Gestão, assinado a 25 de setembro de 2009, entre a AdP - Águas de Portugal, SGPS, S.A. e a AMGAP - Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública do Alentejo, constitui a AgdA - Águas Públicas do Alentejo, S.A., à qual é atribuída, em regime de exclusividade por um período de 50 anos, a responsabilidade pela conceção, construção e exploração do SPPIAAlentejo - Sistema Público de Parceria Integrado de Águas do Alentejo.

Esta parceria visa garantir a qualidade, a continuidade e a eficiência dos serviços de águas em “alta”, numa região com necessidades especiais, nomeadamente, problemas de escassez de recursos hídricos e dispersão populacional.

Benefícios do Contrato de Parceria Pública celebrado

  • Garantir de forma regular, continua e eficiente, em qualidade e em quantidade, o abastecimento de água para consumo público e o saneamento de águas residuais urbanas a toda a população abrangida,
  • Através de um investimento inicial de 227 milhões de euros, a realizar até 2015, comparticipado em 70% por fundos comunitários, pretende-se promover a conceção, reparação e renovação e assegurar a construção e exploração das infraestruturas, das instalações e dos equipamentos necessários à captação, ao tratamento e ao abastecimento de água para consumo público e à recolha, ao tratamento e à rejeição de águas residuais;
  • Assegurar a qualidade, continuidade e eficiência dos serviços públicos de abastecimento de água e de saneamento de águas residuais à população residente, 250.000 habitantes, em 18.5% do território nacional, de forma a promover a saúde pública, o bem-estar das populações, o aumento do emprego local, a proteção do ambiente e a sustentabilidade económico-financeira dos setor;
  • Contribuir para o desenvolvimento regional e para o ordenamento do território.